Blog

O que é escoliose, como tratar e se prevenir?

As dores nas costas, especialmente na região lombar, estão entre as principais queixas dos adultos. É claro que esses desconfortos podem ser causados por inúmeras razões, como má postura, por exemplo. Porém, existe uma condição que pode agravar ainda mais esse sofrimento e que atinge pessoas de todas as idades. Estamos falando da escoliose.

O que é?
A escoliose é um desvio anormal da coluna vertebral, para o lado direito ou esquerdo, formando um S ou C.

Quais são os tipos de escoliose?
Os principais tipos de escoliose são a idiopática, congênita e neuromuscular. O primeiro caso é o mais comum e reúne os desvios que acontecem sem motivo conhecido. Já a congênita pode aparecer desde antes do nascimento do indivíduo ou durante o crescimento da criança. O último tipo reúne as escolioses causadas por algum trauma, doença muscular ou neurológica.

Existem fatores de risco?
O simples fato de nascer mulher já pode ser um fator de risco. Afinal, a escoliose é mais comum em pessoas do sexo feminino. Além disso, pessoas que têm algum familiar com esse problema estão mais propensas ao male. A fase de crescimento também pode ser considerada um fator de risco, principalmente do início da adolescência até os 15 anos, em média.

Como diagnosticar essa doença?
No geral, a curvatura anormal não é tão simples de ser percebida. Porém, existem alguns sintomas que podem ser notados em pacientes com essa doença. Quadris assimétricos ou um ombro mais alto que o outro são alguns dos exemplos. Além disso, o desconforto muscular também é bastante comum. Entretanto, para se certificar de que possui esse desvio, o indivíduo deve consultar um médico ortopedista. Dessa forma, o especialista poderá conferir o histórico do paciente, examinar sua coluna e realizar testes neurológicos para analisar os reflexos e a musculatura. Exames como raio-X e tomografia também podem ser solicitados para confirmar o diagnóstico.

Qual é o melhor tratamento?
A escolha do tratamento varia muito de acordo com a causa, localização e gravidade da escoliose. Além disso, também deve ser levado em consideração se o paciente está ou não em fase de crescimento. No geral, curvaturas menores do que 20 cm não demandam um tratamento específico. Nesses casos, é sugerido apenas manter o quadro em observação, fazendo avaliações periódicas para acompanhar o desenvolvimento da doença. Quando a curvatura passa dos 25 graus, é recomendado o uso de coletes que não impedem, mas retardam o aumento do desvio.
A forma de corrigir essa condição por meio de um procedimento cirúrgico geralmente só é recomendada para pacientes que possuem curvatura maior do que 40 cm. Normalmente, ela é solicitada após a fase de crescimento. Entretanto, se a doença estiver progredindo muito rápido, é possível que o médico sugira a realização da cirurgia o quanto antes.

Como prevenir?
Não existe uma forma concreta para prevenir a escoliose. Porém, é recomendável a realização de exames preventivos que podem detectar a doença ainda em seu estágio inicial.

RECEBA
NOVIDADES

Quer receber nossas novidades em primeira mão?

Faça parte do nosso malling e receba dicas de qualidade de vida e conforto. Preencha seu nome e e-mail abaixo =)

CLIQUE AQUI